Miopia e hipermetropia são doenças da visão que se assemelham bastante, no entanto uma sendo o contrário da outra.

Hipermetropia é o nome dado ao erro de focalização da imagem no olho, fazendo com que a imagem seja formada após a retina. Isso acontece porque o olho do hipermetrope é um pouco menor que o normal. Outras causas da hipermetropia são quando a córnea e cristalino apresentam alterações em seu formato, diminuindo seu poder refrativo, como em casos de pacientes com megalocórnea, que é a córnea ser mais plana do que deveria.

O hipermetrope, ao contrário do míope, apresenta boa visão ao longe, mas focalizar imagens próximas é algo mais complicado. Assim, se apresentam como sintomas de hipermetropia o desconforto visual, geralmente referido como cansaço ou dor de cabeça, além de lacrimejamento ocular.

O profissional que realiza o diagnóstico da hipermetropia é o médico oftalmologista (também chamado de oculista) que, por meio de exames, indica como forma de tratamento de hipermetropia o uso de lentes convergentes ou convexas, que tem a função de convergir a luz para a retina, onde vai se formar a imagem, através do uso de óculos e lentes de contato.

Havendo indicação médica, pode ser realizada como tratamento de hipermetropia a realização de cirurgia refrativa, que faz uso de laser, moldando a córnea para ajuste do grau da pessoa.